Skip to content

Machu Picchu – 18º Dia – Cusco

15/07/2011

Esse foi de longe o dia mais tranquilo que tivemos em toda nossa viagem. Decidimos ficar tranquilos no albergue, acordar tarde, não marcar nenhum compromisso turístico e curtir o próprio albergue. Mas nem por isso não tivemos momentos interessantes.

Esse dia era um dia de festa no albergue. Comemoração de não-sei-quantos anos do The Point Hostel. As festividades começaram com um almoço caprichado com direito a espetinhos de churrasco. Interessante que a única carne de boi disponível era coração de boi, que tem um gosto bem forte (como todos os demais pratos típicos que já tínhamos experimentado).

Durante o dia aconteceram várias atividades, como futebol e outras competições. Em uma dessas, houve um campeonato de ping pong e nós participamos. O feladaputa do Rui passou pelo Logan e depois por mim pra ganhar a parada! Infelizmente ele não pode aproveitar o prêmio, que era um dia de rafting, mas conseguiu troca-lo por uma camisa do hostel.

Campeão de Ping Pong

Durante o dia pudemos conhecer mais os habitantes e funcionários do albergue. Jovens descontraídos e despreocupados, que parecem estar ali curtindo sem pressa uma etapa de suas vidas, trabalhando com alegria e curtindo junto com os clientes. Muitos desses clientes, aliás, viram funcionários temporários, já que a placa “Always Hiring” na parede afirma que o albergue está sempre de portas abertas. Dessa forma é bem fácil encontrar pessoas que estão viajando pelo mundo, param por ali durante algumas semanas pra curtir o lugar e ganhar um dinheirinho, e continuam a viagem. No bar do albergue, o Horny Llama, é comum os garçons e barmans serem dos mais diversos lugares, falando inúmeros idiomas. Era um ambiente totalmente cosmopolita, já que os clientes também vem de diversas partes do mundo.

No bar também havia uma parede toda coberta por latas de Red Bull. E coincidentemente eu tinha na minha mala um Red Bull vindo do Brasil. No meio do dia procurei um dos garçons troquei com ele meu Red Bull brasileiro por um peruano, pra que eles pudessem colocar a lata brasileira na parede.

Interessante também que as paredes do albergue eram tomadas por inúmeras camisas de times de futebol com assinaturas de jogadores famosos e dos turistas que deixaram as camisas. Uma das atendentes do albergue viu o Logan com uma camisa preta do Jack Daniels, e exigiu que nós deixássemos a camisa dele lá em troca dela ter quebrado nosso galho com o atraso nas reservas. Nós (o Logan) topamos e deixamos a camisa dele lá com nossas assinaturas.

A camisa do Logan com nossas assinaturas

Se você que está lendo esse relato um dia se hospedar no The Point Hostel (altamente recomendado), veja se consegue achar a camisa do Logan ou a latinha brasileira de Red Bull nas paredes do Horny Llama, e comente aqui caso encontre!

Ao fim do dia, houve uma animada festa no Horny Llama pra fechar com chave de ouro as comemorações do aniversário do albergue. Curtimos pouco da festa para podermos arrumar as malas com tranquilidade e dormir cedo. No dia seguinte continuaríamos a viagem, em direção a Puno para visitar o Lago Titicaca. Nossa aventura nos andes continuava.

 

Anúncios

From → Machu Picchu

Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: