Skip to content

Oiapoque – 8º Dia – Belém – Santana

01/08/2012

Acordamos com a movimentação de passageiros no navio. Estávamos já atracados em outro porto, onde o navio encheria de gente, e de onde partiríamos em direção ao porto de Santana, cidade ao lado de Macapá. A viagem teria uma duração de mais ou menos 30 horas, portanto chegaríamos em Santana apenas no dia seguinte.

Ficamos impressionados com a quantidade de pessoas que se aglomeravam em redes pelo navio. As fotos falam por si só.

Antes...

Antes…

... e depois.

… e depois.

E como as motos ficaram na multidão.

E como as motos ficaram na multidão.

Finalmente zarpamos de Belém e iniciamos nossa aventura fluvial pela bacia amazônica. A viagem se mostrava muito tranquila, e com tempo livre, fomos fazer contato com outros passageiros e com a tripulação.

E Belém vai ficando pra trás.

E Belém vai ficando pra trás.

O passatempo padrão ali era o dominó. Uma mesinha que ficava logo em frente ao bar do navio servia como centro das jogatinas, onde qualquer interessado podia chegar e entrar na fila. E o jogo era sério, com direito a torcida e tudo. Interessante foi ver a diversidade de jogadores presentes, incluindo nosso amigo Haroldo que não tardou a entrar na disputa.

Na disputa um Paraense, um Piraporense, um Francês e "guianense francês".

Na disputa um Paraense, um Piraporense, um Francês e um “guianense francês”.

Na viagem conhecemos o Emílio, o francês que aparece na foto acima com camisa amarela, mais um dos andarilhos que sempre encontramos nessas andanças. Estava a não-lembro-quantos anos viajando pela América Latina, indo em direção à Guiana Francesa para de lá voltar ao seu país de origem. Pelo português fluente, havia passado um bom tempo no Brasil e estava ali terminando uma grande aventura de sua vida. Além dele, encontramos mais um casal de turistas franceses a caminho de casa.

Ao longo do dia, avistamos diversas comunidades ribeirinhas, que vivem às margens dos rios, sem acesso ao mundo exterior que não seja por água. Um Brasil bem diferente do que estamos habituados, mais um dos muitos “Brasis” que compõem nosso imenso país.

Casas, igrejas, lojas, uma verdadeira nação à beira do rio.

Casas, igrejas, lojas, uma verdadeira nação à beira do rio.

Uma família no seu dia-a-dia

Uma família no seu dia-a-dia

Nativos

E, é claro, barcos para todo lado, a única maneira de se locomover por aqui.

E, é claro, barcos para todo lado, a única maneira de se locomover por aqui.

Esse barco arrastava um bocado de toras de madeira pela água, que estavam amarradas nessas cordas que saem da lateral.

Entre idas e vindas, também fizemos contato com o capitão do navio, que nos ensinou um pouco sobre as cartas marítimas e os instrumentos de navegação. Estávamos aprimorando nossos conhecimentos de marinheiro para além de simplesmente dormir em redes.

Os intrépidos navegadores.

Os intrépidos navegadores.

Ao fim do dia, depois de enfrentar a difícil tarefa de tomar um banho nos chuveiros do navio, disputando espaço com ratos e baratas, fomos ao bar novamente tomar uma cerveja e curtir o outro passatempo local, não tão local assim: ver novela na TV, cortesia da antena parabólica instalada no teto.

Em meio a noite, a luz do navio acaba, por uma falha do gerador, e começamos uma animada cantoria com alguns nativos. Os demais não pareciam muito satisfeitos, mas não ligávamos muito pra isso e o show de calouros (ou de horrores) continuou até a luz voltar e a TV ser ligada novamente.

Fim da novela, fim do dia. Despedimos dos nossos recém adquiridos amigos, nativos e estrangeiros, e fomos ocupar nossas redes. A viagem até Santana ainda duraria toda a manhã do dia seguinte.

Anúncios

From → Oiapoque

Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: